Portuguesa Joana Ferreira conta com alegria seu crescimento ministerial e as bênçãos alcançadas em sua vida

joanaA portuguesa Joana Ferreira, 23 anos, conheceu a Sara Nossa Terra de Lisboa quando tinha 16 anos, há cerca de 08 anos por meio de um convite de uma colega de escola que a levou numa macro célula que mais parecia com uma festa. “Eu era tão acanhada que não aproveitei. Eu venho de uma família católica e o meu conceito de igreja não se parecia com aquilo que presenciei, mas algo impactou-me de tal forma que decidi voltar “, lembra.
 
E assim começou a vida ministerial da jovem na igreja. Participava sempre das células, ia ao Arena  Jovem, mas ao participar do Revisão de Vidas (RV) sua vida mudou. “Lá eu descobri a verdadeira razão pela qual vale a pena morrer! Eu descobri o que é que eu queria fazer para o resto da minha vida. Eu descobri o pedaço que faltava no meu coração, Jesus!”, comemora.
 
Joana conta que após o Revisão a relação com o seu pai foi restaurada e isso era tudo o que ela precisava para avançar. “Aos poucos a minha vida foi melhorando, Deus foi dando-me bênçãos atrás de bênçãos. Deixei de viver num anexo de uma casa para morar no “meu palácio”, conta.
 
Cada dia que passava Joana foi adquirindo mais envolvimento na igreja e conhecimento bíblico. Passou a participar do Instituto de Vencedores, naquela época ainda era Escola de Vencedores; o que a ajudou bastante, porque apesar de vir de uma família católica, não sabia bem o que era a Bíblia e abriu sua própria célula. No ano de 2010 teve mais um avanço, foi ordenada diaconisa.
 
Atualmente, a jovem mestrada em Gestão de Recursos Humanos é responsável pela projeção, faz parte da coordenação da Rede Gênesis Europa e é líder de uma equipa no Arena Jovem, os Conectados. Fazendo um resumo sobre sua vida após conhecer SNT, Joana é só elogios. “A Sara ajudou-me a crescer, a deixar de ser tímida, a ter mais confiança e a acreditar em mim.
 
Proporcionou-me conhecer o amor mais lindo que sempre existiu, o único Deus, o meu Pai do Céu que sempre vais estar comigo. Penso que a igreja na sociedade é fundamental, pois serve de suporte para muitas famílias. É importante também salientar a importância das células, pois além de aprender mais de Deus, é um lugar onde as pessoas podem ser elas próprias sem a pressão de serem julgadas ou mal compreendidas e onde os líderes podem trabalhar a autonomia, o raciocínio e a cultura das mesmas”, diz.